11 de out de 2010

Jogo da memória

Ravensburger-Ben-10-Alien-Force-Memory-GameO jogo da memória é outra excelente maneira de envolver os alunos e fazer com que aprendam e memorizem sem perceber que estão “estudando”, podem até te acusar depois de ficar o tempo todo com brincadeiras e não ensinar nada (hahaha).

O bom do jogo é que se você tem várias palavras ou expressões para trabalhar, não há um limite. Você tanto pode criar um jogo com 20 palavras / figuras para um nível básico como montar um super-jogo com 70 palavras para uma revisão antes da prova de uma turma avançada.

A ideia é fazer duas peças de cada palavra, uma com a palavra escrita e outra com a figura.

Embaralhe-as voltadas para baixo e ordene-as em fileiras sobre uma mesa. Cada aluno em sua vez irá virar uma carta e tentar virar depois a outra que “combina”. Quando acerta retira as duas cartas que ficam com ele e joga novamente, virando uma carta.

Quando erra o aluno vira as cartas para baixo de novo e o próximo jogador vira uma carta.

A ideia é que memorizem a posição das cartas, para quando virarem seu par lembrarem-se de onde estava a outra que “combina” com ela.

Fiz esse jogo algumas vezes para praticar lições que tinham muito vocabulário e o resultado foi excelente. Mesmo as palavras que as turmas anteriores (que não usaram o jogo) tinham muita dificuldade para memorizar foram lembradas com facilidade depois por eles.

Voltarei ao assunto novamente, postarei também alguns exemplos e templates para facilitar porque sei que vida de professor é dura e quanto mais pudermos poupar nosso tempo, melhor.

VErmelha bonita

Jogos em classe–Bingo

BingoO bingo é um dos favoritos dos alunos, se bem que os mais jovens precisem de instruções precisas antes de começar a jogar porque o jogo não é tão conhecido entre crianças e adolescentes.

Quando usar

Eu costumo usar bingos quando quero fazer uma revisão de vocabulário diferente ou quando há uma lição muito longa e que os alunos terão dificuldades de memorizar. Você pode usar para fazer um “geralzão” no final do ano ou semestre, antes de uma prova importante.

Como fazer

Se você tem muitos alunos o bingo poderá ser jogado em pares ou trios (se quiser reduzir o número de cartelas e que eles ajudem uns aos outros) ou no caso de classes com alunos muito novos esse recurso de pequenos grupos também poderá ter um resultado melhor que jogado individualmente.

Para preparar as cartelas eu recomendo que você use um site ou programa porque se for fazer manualmente dará um trabalho tremendo e – pior – poderá haver cartelas repetidas, o que prejudicará o resultado do jogo. No bingo as cartelas são individuais, mesmo que contenham exatamente as mesmas palavras ou figuras, elas devem estar em posições diferentes nas cartelas.

Se você é um expert em Excel poderá fazer uma tabela e inserir um grupo de palavras (umas 30 de cada vez) e fazer com que elas troquem de lugar, fiquem “dentro” ou “fora” daquelas cartelas que irá imprimir. Eu não sou expert em Excel e nem quero gastar muito tempo tentando fazer isso mas sei que é possível, baixei uma tabela assim de um site e sempre que vou preparar um bingo (uso-o mais com turmas de inglês avançado e só com palavras, sem figuras) recorro a ele.

Alguns desses programas e sites já tem uns sets de figuras pré-montados, você só tem que clicar naquelas que vai querer nas cartelas. Para encontrar esses sites que fornecem o serviço, digite na busca do Google: “bingo maker”.

Como montar e jogar

Há dois tipos de bingo de vocabulário: com figuras ou com palavras. No de palavras o professor vai lendo definições e os alunos marcam a palavra que corresponde à definição na cartela, é o tipo mais indicado para alunos de nível avançado.

Para alunos de nível básico e intermediário, as cartelas com figuras (apesar de serem mais onerosas) agradam mais e têm melhor resultado. Nesse caso o professor lê a palavra e os alunos marcam a figura correspondente.

Em vez dos tradicionais números, sorteie as definições (impressas em papel pequeno e dobradas dentro de uma caixa) ou as palavras. Aconselho a fazer cada set com no máximo 30 palavras e dar sempre um prêmio, que será anunciado antes. Pode ser uma caneta, um apontador, um estojo. O importante é que haja um prêmio.

Se você tem mais de 30 palavras, divida-as em grupos de 30, cada grupo sendo uma rodada. Para cada rodada você terá que usar cartelas diferentes e definições (palavras) para sorteio diferentes.

O aluno que preencher uma coluna (todas as palavras marcadas) na horizontal, diagonal ou vertical deve gritar “bingo” e se for confirmado que realmente acertou todas, ganhará o prêmio daquela rodada.

Se você não tem muito tempo ou tem umas 40 palavras, faça uma rodada só e depois (sem trocar as cartelas) já faça uma rodada “cartela cheia”, ganha quem marcar todas as palavras da cartela primeiro. Pode acontecer de haver mais um ganhador, dependendo de como foram feitas as cartelas e como foram tiradas (sequência).

Sugestões de uso

Não precisa ser usado apenas para idiomas, pode-se usar para praticamente qualquer coisa: resultados de tabuada, ossos do corpo humano, personagens históricos, países e capitais, acidentes geográficos, símbolos químicos (nesse caso o professor lê o nome do elemento, o aluno marca o símbolo que está na cartela). Praticamente qualquer matéria pode ser revisada.

Também pode-se revisar gramática, o professor lê uma frase e o aluno marca (se tiver) o verbo no tempo correto que completaria a frase. Ou o comparativo correto, e assim por diante.

Vou preparar alguns bingos futuramente e os disponibilizarei aqui. Aceito sugestões.

assinatura coração

10 de out de 2010

Dominó

Quem trabalha com idiomas sabe da importância de se ajudar o aluno a “ligar o nome à pessoa”. Alguns professores trabalham exclusivamente com tradução, mas a tradução acrescenta um estágio ao entendimento: para acessar a palavra em inglês ou espanhol o aluno liga-a à palavra em português e essa está ligada à figura. Quando ouve a palavra “book” o que se passa na cabeça do aluno condicionado à tradução (se ele aprendeu direito) é o seguinte:

esquema memorização

Se o aluno vir um livro e quiser falar essa palavra em inglês, terá que executar o caminho inverso em seu cérebro. Sempre que conseguimos ligar a palavra no idioma que ensinamos diretamente à imagem, estamos dando um passo à frente para tornar esse aluno fluente e para que domine o idioma. O que se verifica no cérebro do aluno que relaciona a palavra nova diretamente à imagem é um encurtamento do acesso à essa palavra no cérebro, e o esquema de acesso à ela é mais ou menos o que se vê abaixo:

esquema memorização 2

Como se pode imaginar esse “encurtamento” do caminho de acesso à palavra também encurta consideravelmente o tempo, já que para executar essa simples operação, milhões de neurônios são envolvidos em operações complexas.

Uma das formas que podemos utilizar para ajudar o aluno a estabelecer essa relação direta entre a palavra e seu significado, sem ter que passar por sua “língua-mãe” é o dominó.

Para preparar o dominó, usamos 7 palavras e seguimos o mesmo esquema de um domínó tradicional: cada uma deve ser repetida 7 vezes nas 28 peças.

Como fazer

Selecione 7 palavras com conceitos não-abstratos. As que forem mais difíceis (pronúncia ou ortografia) devem ser repetidas 4 vezes em forma escrita e 3 em forma de figura. As outras devem ser divididas 3 vezes em forma escrita e 4 em forma de figura.

Prepare uma “tabela” com 4 X 7 num documento do word (futuramente publicarei alguns templates já prontos), "espiche-a o quanto for necessário para que fiquem 2 dominós deitados em cada linha e abra mais uma página em branco no final. Nessa página coloque as 7 figuras e 7 caixas de texto (coloque sem fundo e sem contorno) com as 7 palavras escritas, correspondentes às 7 figuras.

Selecione 7 figuras que sejam bem representativas do que você vai ensinar ou praticar. Se é um livro, por exemplo, coloque uma figura que só contenha o livro, e de preferência use clipart e não fotos.

Agora clique em cada figura e depois dê Ctrl C e Ctrl V até ter o número que vai usar de cada uma, faça o mesmo com as caixas de texto.

Como montar

Pegue cada figura + a palavra escrita e coloque nas 6 primeiras peças do seu dominó (coloque na peça da esquerda, deixando a direita em branco e na última coloque na mesma pedra a palavra escrita do lado esquerdo e a figura do lado direito). Faça o mesmo com as outras 6 palavras e figuras, distribuindo-as primeiro nas casas que ficaram “vazias” no começo da tabela, depois iniciando outra peça colocando na parte da esquerda, e por último fazendo uma peça com a mesma frase / figura). Faça isso até acabarem as palavras, figuras e peças na tabela.

Como jogar

Divida a classe em 4 grupos, dê a cada grupo o nome de uma cor, flor, dia da semana, mês, estação do ano, etc. Os grupos devem decidir a ordem dos jogadores.

O 4 primeiros jogadores de cada grupo jogam a primeira queda, não podem falar português. Devem referir-se às pedras pelo nome delas em inglês ou espanhol.

As pedras ficam viradas para baixo na mesa, são primeiro misturadas e depois entregues aos jogadores (7 para cada um).

Quem tiver uma peça com a mesma palavra (palavra + figura) dos dois lados inicia, e devem combinar a palavra / figura ou figura / figura ou palavra / palavra da mesma forma como se joga dominó.

Ganha quem terminar as peças primeiro.

Quando o jogador não tem a peça para encaixar de um ou outro lado, passa a vez.

O grupo do ganhador da primeira rodada ganha um ponto e começa-se a próxima rodada. Ganha o grupo que tiver mais pontos no final. Ganham os alunos que aprendem. Ganha o professor que vê seu trabalho sendo recompensado pelo aprendizado e entusiasmo dos alunos.

assinatura vermelha (2)

Variação da dinâmica “quem sou eu”

quem-sou-euEssa dinâmica pode até ser mais engraçada e produtiva que a dinâmica “quem sou eu”, já apresentada aqui. Escolhemos um aluno e pregamos em suas costas (de forma a que ele não possa ver) o nome de uma personalidade bem conhecida de todos.

Todos os alunos terão algum tempo para ver, enquanto o aluno fica de costas para a classe. O aluno senta-se então em uma carteira, na frente da classe, enquanto os grupos (de 4 ou 5 alunos, divisão da qual o aluno que está à frente da classe não participa) combinam frases (em inglês ou espanhol, dependendo do idioma que você ensina) que serão feitas, usando-se adjetivos, profissões, e todas as estruturas já estudadas.

O professor pode fornecer aos grupos uma lista das palavras que poderão ser usadas nas frases. Após o tempo determinado (que poderá variar de 5 a 15 minutos, dependendo do nível da classe) o grupo 1 lê sua primeira frase: “you are a woman” – por exemplo.

Quando o aluno achar que já sabe quem é a personalidade que está representando, arrisca e se acertar o grupo que deu a dica ganhará um ponto.

Escolhe-se então outro aluno e nova formação de grupos. Podem-se estabelecer “prêmios” ao final para o aluno que precisou de menos dicas para acertar, o aluno que criou frases que fizeram com que o aluno acertasse, etc. O importante é que pratiquem as palavras dentro de uma competição, que é o que mais estimula adolescentes e crianças.

assinatura pink

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...