1 de dez de 2009

Coelho da Cartola no Twitter

Adicionei o feed do blog no Twitter, se quiser receber as atualizações basta me adicionar. Outros blogs também estão com feed adicionado e as atualizações estão aparecendo no Twitter alguns minutos depois da postagem.


Twitter Button from twitbuttons.com


assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

20 de nov de 2009

Pedidos de dinâmicas


Esse semestre foi uma correria só, como devem estar sabendo foi decretada uma prorrogação da volta às aulas no início do mês de agosto no estado de São Paulo, para a prevenção de uma possível disseminação da gripe H1N1, com o retorno à escola dos alunos que haviam passado algumas semanas de férias em locais possivelmente considerados "de risco", onde a taxa de contaminação era bem mais alta que aqui.

Trocando em miúdos, foi uma constante adaptação dos livros para dar tempo de terminar o semestre sem prejuízo para o aprendizado dos alunos, de forma que tive bem pouco tempo para atualizar o blog, como devem ter notado os leitores mais assíduos.

É uma pena porque gosto de cumprir o que prometo e durante esse período foi praticamente impossível atender às dezenas de pedidos que recebi. Mas como nada é eterno nesse mundo, o ano letivo vai chegando ao fim (Ufa!) e assim terei tempo para (entre outras coisas) publicar as dezenas de dinâmicas e jogos que acumulei à minha "coleção" durante esse período.

Também já é hora de atualizar o desenho do blog, reconheço que está difícil encontrar o que se procura e à medida em que as postagens vão aumentando faz-se necessária uma nova configuração para facilitar a navegação dos leitores. Sei que professor tem pouco tempo disponível e nada mais justo do que abreviar então essa busca. De nada adianta ter o material se ele não está em local de fácil acesso, certo? Então essa é mais uma promessa para o início de dezembro.

No formulário aí do lado, sinta-se à vontade para sugerir dinâmicas e jogos, sempre que possível, também aceito as reclamações (que fazem parte de qualquer trabalho) ou outras sugestões. Talvez eu coloque um local apropriado para "reclamações e sugestões" até o final do ano para facilitar o contato com os leitores.

Tenho ficado pouco tempo online (isso também deve mudar) e portanto está difícil "me pegar" por aqui, mas a partir de janeiro vou modificar os horários do "plantão online" e sempre que for necessário terei um horário definido para o contato com os leitores. Na rede do blog há inclusive um programa de bate-papo, vou conciliar os horários para estar mais vezes por lá também.

À medida que o blog cresce é necessária uma "profissionalização" por aqui. Esse blog nasceu mais ou menos como um lazer, já que era um assunto que eu via muito "deixado de lado" e que sempre considerei importante. Aprende-se com diversão também. A aceitação foi tão boa que em pouco tempo o blog "bombou", tornando-se um dos meus principais blogs.

Caso você esteja realmente a fim de participar, entre para a rede e também para a comunidade do Orkut, e se possível siga também no twitter, os projetos para 2010 também incluem twittadas a cada postagem por aqui e nos outros blogs, então essa será uma forma de manter-se em dia com o que está acontecendo.

Bem, de volta às revisões antes das provas finais...
assinatura


Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

18 de nov de 2009

Como repetir frases longas

Essa nem é bem uma dinâmica, é apenas uma forma de facilitar quando os alunos têm que repetir uma frase muito longa, com muitas palavras novas. A dica nem é minha, é da professora Helenice, e já coloquei em prática e vi que funciona.

Alunos iniciantes (principalmente os adultos) costumam "travar" quando precisam dizer uma frase muito grande, então precisam de ajuda para memorizar as partes todas, senão esquecem e aí não sai mesmo. Há uma lição logo no início em que em determinado momento os alunos precisam repetir (depois de praticar palavra por palavra, claro) a frase:

- I'm not really interested in that neighborhood.

Eles se assustam! Então, como estão em círculo (pode colocar os seus também) cada um diz uma palavra da frase, e mais o que já foi falado, até que saia a frase toda. Veja o "esqueminha" abaixo:

#1 - I'm...
#2 - I'm not...
#3 - I'm not really...

E segue por aí. Esse esquema é útil não só para frases longas, mas também serve para memorizar versos (kids) ou até letras de música.

assinatura



Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

5 de out de 2009

Atividade preliminar - Spelling


Como eu estava ensinando "spelling", fiz essa há algumas semanas. Levei 5 bombons "bis" para a classe e avisei aos alunos que faria 5 perguntas.

Daria alguns segundos e caso alguém respondesse corretamente, ganharia um bis, se ninguém respondesse dentro do prazo aquele bombom seria meu e eu seguiria fazendo perguntas valendo os outros bombons.


Como dei uns 30/40 segundos para cada resposta, a coisa toda demorou uns 5 minutos. Não comi nenhum bombom e eles ficaram alerta e entraram em sintonia com o inglês antes de começar a aula.


Sempre faço alguma "surpresa" - não todo dia, claro, senão deixa de ser surpresa, mas sempre que posso ou tenho um tempinho sobrando. O tempo que eu levaria fazendo chamada (eu conto rapidamente os alunos e se faltar algum, pergunto: quem faltou?) eu uso para alguma atividade que deixe os alunos predispostos a aprender e em sintonia com o inglês.
assinatura
Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

26 de ago de 2009

Atividades preliminares

Atividades preliminares levam apenas alguns minutos e servem para colocar os alunos em estado de alerta (numa classe muito apática), acalmá-los (numa classe de alunos hiper-ativos) ou ainda despertar a vontade de aprender. No caso de idiomas, servem para "acordar" o idioma em seu cérebro, fazendo com que esqueçam o português temporariamente e ajustem suas mentes ao idioma que estão aprendendo.

O ideal seria começar cada aula com algum tipo de atividade mas nem sempre isso é possível, todos temos um cronograma a cumprir e o tempo nem sempre é suficiente, mas apesar de tomar alguns minutos de sua aula, as atividades devem sempre ser tentadas porque poupam muito tempo depois, que seria usado chamando a atenção de alunos, pedindo que parem de conversar, ou repetindo a mesma pergunta diversas vezes.

Eu nunca fiz a "chamada", limito-me a entrar na classe, dar uma olhada geral e perguntar: "alguém faltou?" Em classes maiores eu os contava mentalmente enquanto diziam "good morning", ou analisava se havia alguma carteira vazia para checar a informação. Simplesmente colocava a falta para o aluno faltoso e deixava para preencher o restante da caderneta no intervalo ou quando estivesse em casa. Dessa forma eu conseguia alguns minutos para alguma atividade.

Apesar de o blog ser destinado a brincadeiras e dinâmicas mais elaboradas e voltadas ao aprendizado ou fixação de algo que se queira, a partir de agora publicarei também essas "atividades preliminares" que muitas vezes resolvem problemas complicados de algumas classes.

Quando vou preparar minha aula, pergunto a mim mesma: que vou fazer para que estejam prontos para aprender isso? E aí crio alguma atividade rápida para introduzir o assunto ou mesmo para colocá-los em sintonia com o que vão aprender.

Por exemplo, se vou dar uma aula de conversação, faço alguma atividade em que precisam falar algumas frases ou palavras, assim a brincadeira funciona como uma espécie de aquecimento. Se terei uma aula explicativa, onde terão que ficar atentos ao que vou mostrar e ensinar, levo uma figura e faço uma brincadeira de adivinhação, assim desperto a curiosidade e a atenção deles.

Se é uma classe de alunos que conversam muito, faço uma atividade que os acalme, se são apáticos, uma atividade na qual se movimentem, pois faz a adrenalina subir e eles ficam mais "despertos".

De qualquer forma cada caso é um caso diferente, irei publicando aqui as atividades e cada um pode usar da forma que estão, adaptar ou mesmo podem servir de inspiração para que você crie suas atividades.

O importante é não fazer tudo sempre igual, despertar a curiosidade e o interesse deles levando sempre novidades e surpreendendo-os sempre. Com isso teremos um caminho bem menos pedregoso e o aprendizado deles se dará de forma mais rápida e agradável.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Atendimento aos leitores

Devido a problemas pessoais estive por algumas semanas afastada do blog, postando muito raramente. Felizmente tudo já voltou ao normal agora e volto com força total. Já estou atendendo às dezenas de pedidos de dinâmicas que fizeram, infelizmente alguns tinham prazos mas espero que ainda sejam úteis, se não para os leitores que os pediram mas para algum colega.

Peço que continuem fazendo os pedidos apenas pelo formulário, que me dá uma noção mais completa do tipo de atividade que devo usar, e caso não tenha nenhuma parecida terei que adaptar ou criar, portanto preciso de dados completos.

Os membros da Rede Coelho da Cartola podem pedir diretamente no fórum de lá, pois posso me comunicar diretamente com eles.

As dinâmicas "para ontem" infelizmente terão que esperar porque estou atendendo a todos por ordem de recebimento, como seria o justo, então seu pedido pode demorar alguns dias a mais que o previsto para ser atendido, não deixe para a véspera.

Conto com a compreensão de todos e espero que tenham paciência de aguardar a publicação de seus pedidos.

Um abraço a todos

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

What are they doing?

Esta brincadeira é boa para praticar o Present Continuous e é uma variação daquelas adivinhações de filmes que a gente fazia com filmes, quando criança.

Preparação:

Corte uma folha em vários pedacinhos, em cada um escreva um verbo que pretende praticar no present continuous. Dobre-os em 4 e coloque-os numa caixa.

Em turmas pequenas não é necessário dividir em grupos, basta escolher um aluno para fazer a mímica. Em turmas maiores, divida em 2 ou 3 grupos e escolha um aluno.

Brincadeira:

O aluno escolhido irá pegar um dos papéis, e depois de ver que verbo terá que representar terá alguns segundos para se preparar, depois disso deverá começar a fazer mímica para que os outros descubram o que está fazendo. Os alunos devem dizer:

- She / he is watching a movie. - por exemplo.

Devem usar a estrutura correta do verbo, o primeiro que acertar ganha um ponto e será o próximo a fazer a mímica. Se dividir a classe em grupos, ganha o grupo que somar mais pontos no final, contando os pontos de todos os seus elementos.

(Essa brincadeira foi pedida pelo leitor Antonio Bispo)

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

12 de ago de 2009

Gincana

Essa pode ser feita para dar uma relaxada e também aproveitar para recordar cores, verbos, etc. Divida a classe em dois grupos, cada grupo ficará em um canto da sala, um do lado direito e outro do lado esquerdo.

Em cima de sua mesa, deixe uma campainha, dessas que se usam em hotéis para chamar quando o empregado não está. Você fica na frente com sua lista e se for professor de inglês peça: "something wet", "something yellow", "used to write", "you write on it", etc. A cada objeto pedido, um dos membros do grupo deve correr e levar o objeto à sua mesa, se estiver correto, bater a campainha. Dê a ele uma fichinha. No final da gincana os grupos contam as fichas, ganha o grupo que tiver mais fichas. Se for professor de espanhol, deve pedir coisas como "algo mojado", "algo amarillo", "que se usa para escribir", etc. Sua imaginação e o vocabulário que eles conhecem e você pretende dar um "refresh" é que irão determinar o que você vai pedir na gincana.

Esse jogo pode ser feito em 15 ou 20 minutos finais da aula, é bem rápido, mas como eles têm que correr além de procurar as coisas, costumam ficar cansados e suados - hora de irem pra casa.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Dinâmica para o primeiro dia de aula

Essa dinâmica é interessante porque faz com que os alunos conversem e descubram coisas sobre os colegas, ao mesmo tempo em que promove movimentação, seus alunos não estarão apáticos e com sono depois dela.

Material necessário:

- 1 apito

- relógio

- lista de atividades

Divida os alunos em 2 ou 3 grupos, dependendo do número de alunos em classe. É interessante que os grupos tenham entre 7 e 10 elementos cada. Nomeie os grupos: azul, amarelo, verde. Peça a eles para fazer fila, cada grupo faz uma fila à sua frente.

Com sua lista em mãos, diga que têm 3 minutos para se organizarem em ordem crescente de idade. Ao final dos 3 minutos apite. Depois do apito os alunos não podem mais trocar de lugar. Verifique o grupo que está mais certo, inclusive por meses (11 anos e 2 meses, 11 anos e 3 meses, etc). Depois diga que têm 3 minutos para se organizarem por ordem alfabética de primeiro nome. Você pode adicionar vários ítens à sua lista. Quem tem mais irmãos, do mais alto ao mais baixo, ordem alfabética inversa de sobrenome... sua imaginação é o limite. Ganha o grupo que cumprir mais tarefas sem errar, ou o que errar menos.

É importante afastar as carteiras para essa brincadeira, e assim evitar que se machuquem. Permita que baguncem à vontade enquanto se organizam. Dependendo da idade e conhecimento de seus alunos você poderá incluir várias tarefas (mês de nascimento, número de irmãos, mais vogais no nome, etc.). Se você é professor de idiomas também pode fazer essa brincadeira, basta substituir os comandos de português para o seu idioma: en orden de meses de nacimiento, number of brothers and sisters, etc...

Quando faço essa brincadeira meus alunos se divertem muito - e eu também.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

3 de ago de 2009

Jogo de baralho para praticar a matéria


Já pensou em promover uma "jogatina" em sala de aula? Você deve estar pensando que eu fiquei maluca e que certamente você seria expulso da escola, não é mesmo?

Mas não tem que ser assim. Até jogando baralho seus alunos podem aprender um pouco mais. Explico: preparei duas folhas com as cartas do baralho, na frente de cada carta você coloca a pergunta que você quiser. O jogo está em word 2003, então você poderá modificar à vontade.

Assim que tiver preenchido com as perguntas que quer que seus alunos respondam, basta imprimir uma cópia e levar as 2 páginas juntamente com um baralho completo (sem os coringas) para a sala de aula.

Embaralhe-as e coloque num monte, com a frente das cartas virada para baixo. Em sua vez, cada aluno tira uma carta e responde à pergunta correspondente. Se responder certo, fica com a carta que tirou; se errar devolve a carta ao monte, colocando-a embaixo de todas.

Quando todas as cartas acabarem, ou seja, quando todas as perguntas tiverem sido respondidas corretamente, ganha quem tiver mais pontos. Os azes são as cartas mais valiosas, portanto coloque as perguntas mais difíceis. Na hora de contar os pontos cada um vale 1,5. Logo depois vêm as cartas com figuras, que também não devem ter perguntas fáceis porque valem 1 ponto cada uma. Depois de 2 a 10 as cartas valem 0,5 cada.

Você pode modificar esse valor se quiser colocar mais perguntas difíceis, pode colocar as cartas acima de 7 valendo também um ponto, por exemplo. Tudo depende do tipo de matéria que está sendo praticada.

Para fazer o download, clique abaixo:

Photobucket

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

8 de jul de 2009

I went to the supermarket and I bought...

Meus alunos de intermediário sempre pediam essa brincadeira. Você os coloca em um grande círculo e escolhe um aluno para começar.

Ele deve dizer: "I went to the supermarket and I bought..." "...a book." Aí o aluno seguinte deve repetir o início, mas completar: "... a book and a notebook." O seguinte deverá repetir todo o início e completar: "...a book, a notebook and a pencil."

Eles podem escolher o que compraram mas têm que repetir o que cada aluno antes deles "comprou", na sequência correta. Quem erra sai do círculo. Você pode continuar até terminar o tempo que tem disponível.

Uma variação da brincadeira para fixar não só vocabulário com também o Present Perfect é fazer com a frase "I've gone to the supermarket and I've bought..." A brincadeira é bem útil quando se termina ou se vai iniciar uma lição com bastante vocabulário, os alunos tendem a usar o que acabaram de aprender.

Uma boa idéia antes de dar a lição é também apresentar o vocabulário em forma de flashcards, pictionary ou imagens com exercícios e logo em seguida fazer a brincadeira, antes de iniciar a lição propriamente dita.

No caso de ter terminado uma lição com muito vocabulário, você pode sugerir aos alunos que o usem, ou criar uma regra que só se pode comprar as coisas que estão na última lição, ou no livro que estão aprendendo, por exemplo.

Para espanhol há a variante: Yo fui al supermercado y compré... ou no pretérito compuesto: He ido al supermercado y he comprado...

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Roupas e acessórios

Uma ótima idéia para ensinar roupas e acessórios é dar a eles uma lição sobre o assunto e depois promover um desfile de modas.

Todos devem participar, alguns alunos irão desfilar, outros serão os locutores que descreverão todas as roupas e acessórios e outros serão os jurados.

Ensaie com eles, ajude-os a preparar suas "falas". Os alunos devem trazer as roupas de casa, providencie lugar para que se arrumem, faça uma "passarela".

Forme 3 grupos, que devem ser de: 1) os que desfilarão com as roupas e acessórios; 2) os que irão descrevê-las; 3) os que irão julgá-las.

Depois de prontos os "modelos", permita que os grupos se organizem, para decidir a ordem em que entrarão e como o farão (grupo 1), preparem a narração olhando os modelos (grupo 2) e vejam como cada um está vestido (grupo 3).

Os alunos devem levar roupas e acessórios porque vencerá o que estiver melhor vestido e devidamente "empetecado". Oriente para que levem chapéus, broches, pulseiras, cachecóis, etc. Quem desfilar melhor será o vencedor, vale levar um prêmio (um animal de pelúcia, uma caixa de bombons) para o vencedor. Mas com certeza a diversão (e o aprendizado) estarão garantidos.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Números e dinheiro em inglês ou espanhol

Essa dá um pouco de trabalho, mas eu já fiz com algumas classes e o resultado é excelente!

Sobre sua mesa, monte uma verdadeira "barraca de camelô": leve artigos usados (livros de histórias, brinquedos, coisas de cozinha, artesanato, vale tudo. Assim que os alunos chegarem dê a cada um deles (ou sorteie, ou faça um jogo dando dinheiro de mentira) algumas notas de mentirinha, de dólares (inglês) ou de euros (espanhol).

Nos seus artigos à venda, coloque plaquinhas com os preços das quinquilharias, convide um dos alunos para fazer as vendas. Os alunos devem fazer todas as operações como se fosse mesmo uma barraca de camelô, um de cada vez, perguntando preços, pechinchando. Quando for iniciar a venda, oriente o "vendedor" para perguntar "do you have enough money?" ou "tienes dinero suficiente?".

Se forem mesmo artigos de que você quer dispor, os alunos podem inclusive ficar com eles.

Você também pode fazer essa brincadeira programada, ao final do semestre, se por acaso dá dinheirinho de mentira como prêmio nos jogos e brincadeiras durante o mês ou semestre. Pode avisá-los de que haverá o mercadinho, fair, auction, etc... no final do mês ou semestre.

Outra forma de fazer o mercadinho é pedir para cada criança trazer algo que não quer mais (avise os pais e peça autorização para não ter problemas depois). Oriente-os de que devem pedir permissão dos pais para trazer os objetos, que devem estar em bom estado e que não vão usar mais.

Podem ser revistas, CD's, livros, brinquedos, jogos, etc. Se cada aluno trouxer um artigo, você terá material para fazer um excelente mercadinho e se dirigir bem a brincadeira de forma organizada, eles aprenderão bastante sobre números e preços. Lembre-os de que todas as operações deverão ser feitas em inglês ou espanhol, ajude-os e incentive-os, com certeza terão ótimos momentos de diversão e aprendizado.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

8 de jun de 2009

Teoria do Evolucionismo (Darwin) - sugestão de dinâmica

A leitora Aline me pediu uma dinâmica para tornar sua aula sobre evolucionismo (teoria de Darwin) mais alegre, mas como não me enviou uma apostila sugiro uma dinâmica que poderá tornar sua aula engraçada e os alunos certamente não esquecerão mais esse assunto.

O que eu sugiro é que a leitora (ou outro professor de biologia que vá ensinar o assunto) faça um teste, como esses de revista, tipo "quem é você?" e coloque as características principais dos homens das cavernas que segundo Darwin fazem parte da cadeia evolutiva até chegar ao homem moderno. Passem esse teste para os alunos e peçam para que cada um deles escolha o tipo no qual mais se encaixa, mas sem colocar o nome do "homem", coloquem apenas as características principais tais como: prefere viver apenas com sua companheira, comunica-se pouco com os demais, é agressivo, etc...

Tenho certeza de que os professores de biologia conseguirão fazer essa adaptação. Caso algum professor de biologia puder me fazer a gentileza de enviar as principais características dos tipos de homens das cavernas, basta me enviar por email, eu crio um teste bem engraçado e posto o link aqui para baixar.

Assim que todos tiverem se "classificado", acho que uns 5 ou 10 minutos serão suficientes para isso, o professor pode perguntar a alguns alunos como se definiram. Digamos que ele diga que se classificou como o exemplo 2, aí o professor diz: você então é um homo ..... que viveu entre ..... e tanto.... A.C. Sua principal característica era... e aí vai explicando mais detalhadamente.

Prossiga assim até que todos os tipos tenham sido classificados. Caso algum não tenha sido escolhido, pergunte: o tipo 5, que ninguém escolheu, quem da classe vocês acham que se encaixaria nele? Leve tudo na brincadeira e com certeza os alunos irão se divertir enquanto aprendem.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

25 de mai de 2009

Enquete - Você leciona em...

A enquete para estabelecer o perfil do leitor do blog também já está encerrada, agradeço a todos os que participaram. Os resultados foram os seguintes:

29% primeira a quarta séries (39 votos)

29% área de humanas (39 votos)

14% curso de idiomas (19 votos)

9% área de exatas (13 votos)

9% outros (12 votos)

6% área de biológicas (9 votos)

Fico contente por terem sido registrados votos em todas as áreas porque isso mostra que todos os professores de modo geral, independente de sua área de atuação, está procurando sempre novos recursos para ajudar seus alunos e tornar seu aprendizado mais rápido e eficiente.

Lembro a todos que o formulário de encomenda de dinâmicas já está a disposição de todos no rodapé do blog, logo após o formulário de pesquisa do professor.


assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Enquete - O que você faz para os alunos fixarem o que aprenderam?

A enquete está encerrada, teve muitos votos e agradeço a todos os que se dispuseram a deixar registrada sua resposta. O resultado da votação foi o seguinte:

Dou lição de casa. - 22 votos (32%)

Mando escreverem sobre o assunto. - 9 votos (13%)

Mando estudar e na próxima aula dou prova. - 2 votos (2%)

Preparo uma dinâmica ou jogo. - 43 votos (63%)

Procuro uma música com o vocabulário ensinado. - 17 votos (25%)

Peço a um aluno para se preparar e explicar na próxima aula. - 8 votos (11%)

Portanto a maioria (mais da metade dos participantes - 63%) prepara dinâmicas e jogos, o que eu já comprovei na prática que é uma excelente forma de praticar, e também a favorita dos alunos.

Como nem sempre dá para fazer isso (ou só isso), em segundo lugar está a lição de casa, que é obrigatória na escola onde dou aulas, e para cada lição há uma tarefa que deve ser entregue no prazo máximo de uma semana, ou o aluno não poderá fazer a prova. Considero a tarefa um ponto fundamental na memorização e no aprendizado. O aluno necessita desse momento sem a assistência do professor e a interferência dos outros alunos para uma reflexão mais profunda a respeito da matéria e uma avaliação mais objetiva a respeito do que aprendeu e quanto aprendeu.

Logo em seguida vem a música, que os alunos também adoram. Infelizmente nem sempre encontramos uma música que trabalhe exatamente o que acabamos de ensinar, mas estou preparando um blog para catalogar músicas e os tópicos que podem ser trabalhados com elas. Ainda está em "fase experimental" mas em breve estará com bastante material e será mais uma fonte de pesquisa para os professores que têm "alunos musicais".

Eu também adoro dar música para meus alunos, mas não apenas para recreação, uma vez que acredito que tudo o que se faz em sala de aula deve ter um objetivo claro e específico. Podemos dar música ou filme (que esqueci de mencionar na pesquisa, mas que também são uma fonte maravilhosa e que os alunos costumam apreciar muito) e também está entre meus projetos para esse ano um blog com cenas de filmes já cortadas para trabalhar diversos assuntos de gramática e vocabulário. Ainda estou catalogando mas deve sair no segundo semestre, logo após as férias de julho.

Pedir uma dissertação sobre o assunto só é válido para alunos de segundo grau (vão precisar desenvolver o talento para escrever para fazerem a famosa redação do vestibular) e com certeza nos dará uma idéia bem clara sobre quanto aprenderam e também uma noção dos pontos que não foram bem absorvidos - e que poderão ser reforçados posteriormente.

Pedir que os alunos expliquem na próxima aula também é muito bom porque ensinando se aprende em dobro (nós professores sabemos disso) e um aluno terá sempre um vocabulário e uma forma de expressão bem mais próximos dos outros alunos que nós professores, por mais que nos coloquemos em seu lugar na hora de preparar nossa aula. Portanto esse método não deve ser esquecido.

Mandar estudar e dar prova na aula seguinte pode até ter seu valor, aprenderão sob pressão, mas não é um método que deva ser usado com muita frequencia porque estressa os alunos e sobrecarrega o professor, que fica com um monte de provas para corrigir.

Imagino que a forma perfeita de consolidar o aprendizado seria usar de cada um desses recursos de acordo com o estágio e faixa etária dos alunos e o tipo de matéria estudada. Inclusive acho que mesmo usando-se as formas "tradicionais" o jogo sempre poderia vir em um momento posterior, por mais simples e rápido que fosse. Eu tenho conseguido bons resultados com classes que precisam aprender grande volume de matéria, ou que tenham um livro com muita matéria considerada "difícil" utilizando uma forma mais tradicional de fixação logo após terminar a lição e uma ou duas semanas depois usando um jogo da memória, tabuleiro, dinâmica ou música.

Fica aqui a sugestão, e espero contar com a colaboração de todos nas próximas enquetes.


assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

24 de mai de 2009

Formulário para pedido de dinâmicas

Lá no rodapé do blog, logo abaixo do "formulário para professores", adicionei um formulário para pedido de dinâmicas.

Peço a todos que antes de enviar o pedido leiam atentamente as instruções, todas as dinâmicas solicitadas serão publicadas no blog, portanto verifique antes se já não existe uma dinâmica adequada ao seu caso antes de pedir. Além de dinâmicas preparo também palavras cruzadas, caça-palavras e jogos de tabuleiro, em português, inglês ou espanhol, desde que me enviem as palavras-chave que constarão do jogo pelo formulário.

No caso de assuntos fora do currículo escolar (direito penal, técnicas de venda, psicologia, etc...) por favor enviem informação sobre o assunto, que pode ser uma apostila enviada em separado para meu email zaildamendes@gmail.com ou envie o link através do "formulário de contato" que também está no final do blog.

Não se esqueça de informar seu nome e endereço de email para que eu possa avisar quando a dinâmica for publicada.

Atente quanto ao prazo, eu não me comprometo a enviar uma dinâmica antes de uma semana, recebo vários pedidos e tento atender a todos o mais cedo possível, portanto não peça na véspera.

Perca um pouco de seu tempo e responda também ao "Formulário para professores" para que eu conheça um pouco melhor os leitores do blog e possa atender sempre da melhor forma.

Conto com a compreensão e colaboração de todos.

Um abraço

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

8 de mai de 2009

Telling a story / Contando uma história

Eu uso essa brincadeira nas classes de inglês intermediário, para trabalhar a parte escrita ou oral, dependendo da forma como a brincadeira é conduzida.

Trabalhando a parte oral:

Explico aos alunos que terão que contar uma história baseados num determinado vocabulário que passo a eles. Se for muito extenso ou difícil, passo alguma atividade de fixação antes, em grupo para poupar tempo.

Em seguida, escolho um aluno que começa contando uma história. O importante é que ele tem que inserir pelo menos uma das palavras novas. Quando ele consegue inserir a palavra, aponto outro aluno, que continua de onde ele parou. O próximo aluno também tem que inserir uma palavra nova, diferente da que o outro usou. À medida em que vou chamando os alunos, vou riscando as palavras que já foram usadas.

A história vai ficando mais e mais engraçada, à medida em que vou apontando os alunos e ela vai se desenvolvendo. Damos muitas risadas e o vocabulário é usado até esgotar todas as palavras.

Trabalhando a escrita

Nesse caso, entrego a cada aluno uma lista do vocabulário com as definições e dou a eles 5 minutos para analisarem a lista. Depois coloco-os em círculo e dou uma folha em branco para cada um. Em 5 minutos cada um tem que escrever um parágrafo de uma história, usando pelo menos 3 das palavras novas.

Conto 5 minutos e todos passam a folha para o aluno que está à sua direita. Cada um tem que ler e continuar a história que está iniciada, usando em seu parágrafo outras 3 palavras da lista. Em mais 5 minutos peço para passarem ao aluno da direita novamente e a brincadeira prossegue, até terminarem as palavras da lista.

Aí eu peço que passem ao aluno da direita mais uma vez e corrijam a história que está em suas mãos. Depois passam mais uma vez ao aluno da direita e eu peço a alguns alunos que leiam a história que está em suas mãos.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

16 de abr de 2009

Board Games com poucas perguntas

Essa eu aprendi faz pouco tempo, de uma professora do ESL Printables, e achei a idéia ótima.

Quando ela utiliza board games pequenos, com poucos quadros, para evitar que fiquem perguntas sem resposta, em vez de utilizar um dado para jogar, ela utiliza uma moeda; cara, duas casas à frente; coroa, uma casa à frente.

Achei a sugestão muito boa, resolvi passar para vocês e vou utilizar também, depois comento o resultado.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Pronúncia diferenciada do "t" e "ch" em inglês

Existe uma tendência dos alunos brasileiros de pronunciar o "T" como "CH" em inglês. Para resolver esse problema eu os faço ver a diferença utilizando sons que eles já conhecem.

Ponho um "T" na lousa e digo: agora vamos treinar o som de "T". O spray do inseticida: tssssssss. teacher. Treino bastante. Então coloco "CH" na lousa. Digo: vamos treinar esse som: margarina na panela: tchchch... Check.

Aí começo: inseticida; eles fazem o som. Digo uma palavra com T, eles repetem com o som do inseticida. margarina na panela; eles fazem o som. Digo uma palavra com CH, eles repetem com o som correto.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Pronúncia de "rl" em inglês

Os alunos novos têm alguns problemas com a pronúncia e quando vão falar "girl" falam algo parecido com "guél".

Quando vou ensinar essa palavra, digo: agora façam de conta que estão vomitando: GIRL. Eles se divertem fazendo de conta que estão vomitando e não é que sai direitinho? O interessante é que foi um aluno iniciante que um dia percebeu o som parecido com a palavra "girl" e como deu certo com aquela turma, comecei a fazer com as outras. Eu faço bem teatral e os alunos também, de forma que não esquecem depois.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Pronúncia do "th" em inglês

Logo no início das aulas, à medida em que vou ensinando palavras que contém alguns sons que os alunos não conseguem pronunciar direito, eu vou mostrando a eles sons que sem perceber usamos no nosso cotidiano e que são muito parecidos aos sons "novos".

Quando vou ensinar o "th", por exemplo, começo a falar como alguém que tem língua presa e pergunto se eles nunca imitaram alguém com língua presa, vou pedindo a eles que imitem a "língua presa". Eles se divertem e quando vão falar a palavra com "th" eu digo: 'língua presa' e o som sai direitinho.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

9 de abr de 2009

E as perguntas que ficaram sem resposta no board game?

Mesmo fazendo 3 ou mais rodadas algumas perguntas podem ficar sem resposta. O que eu faço serve apenas como sugestão e não como regra, você pode fazer de forma diferente.

Ao terminar o jogo eu digo que farei algumas perguntas que ficaram sem resposta e os alunos que responderem corretamente em primeiro lugar ganharão um ponto para seus respectivos grupos. Então leio as perguntas uma de cada vez e os alunos que respondem corretamente ganham um ponto para o grupo. Faço o mesmo com as perguntas que ninguém conseguir acertar.

Caso alguma pergunta não seja respondida corretamente por ninguém eu dou a resposta e a explico à classe.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Modelos de board games

No blog SOS - inglês online há alguns templates de board games para você baixar e criar o seu partindo do que já está pronto, usando apenas o Ctrl C + Ctrl V num novo documento do word.

Há também alguns boarg games já prontos com questões que já usei com algumas turmas e que você pode baixar e usar como está ou modificar de acordo com a sua vontade ou o vocabulário que sua turma conhece.

Vou publicar também alguns board games 'perenes', do tipo que você imprime do jeito que está, de preferência em papel mais encorpado (tipo filipaper) e depois passa contact. Alguns já vêm com os cartões para você colocar suas perguntas.

Como imprimir os cartões:

Os cartões vêm com desenhos (verso) e sem desenho (frente, para colocar suas questões), minha sugestão é que você coloque o texto nos cartões que estão sem desenhos, depois imprima os dois tipos, recorte e cole um contra o outro, formando assim o cartão como se fosse uma carta de baralho, com texto de um lado e desenho do outro. Você também deve imprimir em papel grosso e será bom passar contact uma vez que será manuseado por várias pessoas e nunca se sabe quando estão com a mão molhada ou suja ou quando vão "arrastar" as cartas pela superfície da carteira ou mesa onde estão jogando (isso até dói lá no fundo, não sabem o trabalho que dá, tenho que me conter para não tomar a carta da mão deles - mas isso faz parte!).

Como alguns dos templates não são de minha autoria vou ter que pedir permissão aos autores primeiro mas garanto que ainda nesse feriado todos estarão postados e a tempo para serem usados assim que as aulas recomeçarem na segunda-feira. Portanto quem estiver interessado, dê uma checada no blog SOS - inglês online. Lá também há alguns outros trabalhos que venho desenvolvendo em gramática e vocabulário com alunos. Os trabalhos de espanhol estão no blog Espanhol para Iniciantes.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Board games com cartões

Alguns board games já vem com cartões e você vai colocar as perguntas nos cartões. Para cada tipo de matéria que você for trabalhar, só deve imprimir novos cartões com perguntas. Os cartões são numerados, quando o aluno joga o dado vira um dos cartões e responde à pergunta contida nele. Se responde corretamente vai para a casa que tirou e fica com o cartão; se errar fica onde está e o cartão volta para o monte.

O aluno que jogar o dado depois dele tem a opção de escolher o mesmo cartão ou outro qualquer do monte (ficam todos com as perguntas viradas para baixo) e ao final ganha o grupo que tiver mais cartões.

Para não ficar uma coisa muito chinfrim, coloque no verso do cartão alguma figura relativa à matéria que está sendo estudada. Você pode ter um só board game e mudar apenas os cartões a cada vez que for trabalhar alguma matéria. Os alunos também gostam muito de jogar assim.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Board game com questões em separado

O board game sem as questões impressas é uma boa opção para não ter que ficar fazendo sempre outro board game e você pode incluir um número infinito de questões. As desvantagens são: você não pode trabalhar com figuras, a não ser que faça cartões em separado com elas (vai gastar mais tinta imprimindo figuras grandes que figuras minúsculas que serão visíveis no board game) e perde-se uma parte da surpresa dos alunos ao verem um board game diferente. Uma boa parte da atenção dos alunos é devida à novidade da coisa, então perde-se isso fazendo um board game só para vários objetivos, mas em turmas de níveis avançados, ou quando as perguntas são muitas ou muito extensas e elaboradas pode ser uma boa solução.

Nesse caso, o aluno joga como da forma anterior, só que você vai lendo as perguntas numa lista que só você tem e se o aluno responder corretamente, vai para o quadrado que tirou no dado, se errar continua onde está.

Você pode fazer as perguntas em sequência, não há necessidade de haver uma pergunta para cada quadro, até é bom que não haja, assim você pode criar quantas perguntas quiser independente do número de quadrinhos do board game. Há board games assim, com 50 ou mais quadros, para serem usados com um set de questões, nos quadros do board game só há números. Dessa forma evitam-se também as repetições das mesmas perguntas ou de ficarem perguntas importantes sem serem respondidas por nenhum aluno.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Formas de trabalhar com board games

Como há ainda algumas dúvidas sobre como trabalhar com board games, resolvi postar aqui algumas sugestões.

Board game simples: com as questões ou figuras diretamente impressas no próprio board game:

1- Divida a classe em 2 ou 3 grupos, dependendo do número de alunos. Até 20 alunos costumo dividir em 2;
2- Peça aos grupos para escolherem a ordem na qual seus membros irão participar (nem todos participarão, a não ser que o board game seja grande, com 30 ou mais quadros, para treinar algum item muito importante ou vocabulário extenso);
3- Chame o primeiro representante de cada grupo (que foi escolhido por eles para participar em primeiro lugar);
4- Peça para os 2 ou 3 alunos jogarem o dado para determinar a ordem em que cada grupo irá jogar. Digamos que há 3 grupos: blue, orange, red. O representante do grupo red tira 4, o do orange tira o 6 e o do blue tira 2. Então isso significa que a ordem de jogo sempre será: 1) grupo orange; 2) grupo red; 3) grupo blue.
5- O primeiro a jogar nesse exemplo será então o representante do grupo orange. Ele joga o dado e tira 3, por exemplo. Então ele (que está com sua fichinha no quadro 'start' junto com os outros 2 representantes de grupo) deve contar 3 quadros partindo do que ele está e responder a pergunta ou dizer a palavra, do quadro. Se acertar, coloca sua ficha nele. Se errar, continua onde está.
6- Quando não é a vez do aluno o grupo pode ajudá-lo nas questões que errou.
7- Segue-se assim até que um dos 3 alunos chegue ao quadro 'finish'. Marque um ponto para o grupo do ganhador.
8- Recomeça-se o jogo com os 3 alunos que cada grupo escolheu para representá-los em segundo lugar. Como já foi definida a ordem dos grupos, os 3 iniciam com as fichas no quadro 'start', o aluno que agora representa o grupo orange joga o dado, responde a pergunta. Se acertar fica no quadro da pergunta que respondeu, se errar continua no quadro onde está. Em seguida joga o aluno representante do grupo red, depois o blue. Aí o aluno do orange joga de novo. Quando um deles chegar ao "finish", dê um ponto para o grupo do aluno vencedor e comece a terceira rodada.

Normalmente para board games de uns 20 quadrados eu faço só 3 jogadas porque as perguntas começam a repetir muito. Não faço apenas uma rodada, senão várias perguntas ficarão sem resposta. Com board games mais extensos (30 quadrados ou bem mais) eu sigo jogando até que todos os alunos tenham participado ou a maioria das perguntas tenha sido respondida.

Como deu para perceber só é necessário um board game, a atenção de todos os alunos fica concentrada no jogo e todos aprendem, mesmo os que não participam do jogo.

Espero que tenha ficado claro, se houver dúvidas é só encaminhar que responderei com prazer.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

6 de abr de 2009

Como trabalhar com os "board games"

Eu coloquei aqui uns modelos de board game fáceis de configurar porque estão no word, você pode acrescentar em cada quadrinho a matéria que quiser aprofundar ou trabalhar.

Sugiro que coloque também uns quadrinhos com frases como "perde a vez", "duas casas adiante", uma casa atrás", etc. Isso serve para dar mais emoção ao jogo.

Uma vez pronto você pode imprimir numa folha grossa (da Filipaper) e depois passar Contact, assim dura a vida inteira. Também é bom porque nunca se sabe quando os alunos estarão com a mão molhada ou suja.

Eu tenho um dado colorido, daqueles de espuma que se encontra baratinho nessas lojas de brinquedo ou de 1,99. O meu acho que custou isso mesmo, portanto não é um investimento expressivo e serve sempre. Também providenciei 3 fichinhas para jogar sempre, e elas estão via de regra comigo, para uma eventualidade... rsss

Como tenho classes grandes, costumo dividí-las em 2 ou 3 grupos e peço para que decidam a ordem em que os seus elementos irão jogar. Com o primeiro jogador de cada grupo inicio a primeira rodada.

Jogam-se os dados para decidir a ordem em que irão jogar, quem tira mais joga primeiro e assim em ordem decrescente, dessa forma tenho 2 ou 3 jogadores (representando seus grupos, que eu costumo identificar por cores, na aula de inglês fica blue, red, yellow, etc). Definida a ordem em que jogarão sempre (e que mantenho depois, mesmo nas outras jogadas: primeiro o grupo blue, depois o red e em terceiro o yellow), o primeiro joga o dado e conta as casas, para na casa correspondente ao número que tirou no dado e se responder corretamente fica nessa casa, se não souber continua na casa em que estava antes de jogar.

Quem terminar primeiro vence a rodada, marco ponto para o grupo e começo a segunda rodada da mesma forma, com os segundos elementos de cada grupo. Normalmente não jogo mais de 3 rodadas, a não ser que esteja com um board game grande (como o que postei no blog SOS-inglês online) porque as perguntas começam a se repetir muito.

Normalmente levo alguma coisa para dar aos elementos do grupo que ganhou (um bis para cada um, por exemplo) e para os elementos dos outros grupos dou um prêmio de consolação - uma balinha para cada um. Costumo premiar todos pela participação porque como trabalho com adolescentes e pré-adolescentes eles costumam ficar chateados se não ganham nada. Uma balinha de hortelã é o suficiente para que fiquem consolados. Afinal o prêmio é de consolação mesmo, não é?


assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

13 de mar de 2009

Board games

Encontrei uma forma nova de brincar com os alunos e fazer com que aprendam com mais facilidade, enquanto brincam. Quer dizer, a fórmula é nova para mim porque eu já tinha visto alguns professores preparando algo no gênero, se bem que de forma bastante improvisada. Eu não gosto de improvisações, do tipo arrancar folha do caderno e rabiscar qualquer coisa, acho que o legal é fazer direito, então tornei-me uma nova viciada e jogos de tabuleiro porque as possibilidades são praticamente infinitas e logo que comecei a usar percebi que os alunos aprovaram a idéia.

Como eu disse, não gosto de nada improvisado, comecei a fazer os tabuleiros (board games) em sites que ajudam a fazer e imprimir, mas logo depois fiquei cansada das limitações que eles impõem e resolvi criar os meus - e deu certo. Claro que não é assim aquela Brastemp, mas para começar e para o fim a que se destina está muito bem, obrigada.

Comecei traçando uma 'carcaça' que estou usando para fazer os próximos board games, assim poupo tempo porque eu detesto fazer a mesma coisa um monte de vezes sem fim. Com a carcaça pronta, cada vez que vou fazer um novo board game eu simplesmente a copio e colo no documento novo e parto daí.

Para configurar é fácil, basta clicar dentro dos quadrados e inserir texto ou figuras. Se inserir figuras o aluno tem que dizer algo sobre elas ou se forem frases tem que repetir, ou ler. Quem cria as regras do jogo é você e antes de começarem a jogar você vai explicá-las. A pontuação, quanto vale cada questão, e outras regras assim, você também já define logo de início. Mas para começar está aí a carcaça, basta clicar no link para fazer o download. Não é grande coisa mas tem me ajudado bastante. Você pode enfeitar colocando um fundo na página, ou figuras em volta do board game. Quem define o limite é sua imaginação - ou quanta tinta você está disposto a gastar.

Nas primeiras eu imprimi em papel normal, colei em papel cartão e depois passei contact por cima, mas isso tudo dá muito trabalho. Agora estou imprimindo direto numa daquelas folhas mais grossas do Filipaper e ponto. Se ficar feio com o uso eu imprimo de novo, dá menos trabalho e gasta menos material que ficar colando e passando contact. E depois eu não sou muito boa nessas coisas porque não tenho muita paciência. O que eu quero é ver a coisa pronta o mais rápido possível, então esse método para mim é mais eficiente.

Se você não quiser gastar muita tinta botando muitas figuras, compre uma cartela de adesivos e cole depois de pronto. Com certeza seus alunos vão adorar.

Os board games prontos que estou fazendo vou publicar no site SOS - INGLÊS ONLINE, para o caso de você querer já alguma coisa pronta, sem ter que fazer nada, só imprimir. Depois conte o que seus alunos acharam e o que você achou do aproveitamento deles do jogo, ok? Vamos compartilhar experiências. Para download da carcaça, clique nos links abaixo:


assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

7 de mar de 2009

Partes de seriados antigos na aula de História

Um seriado que eu achava muito legal na minha juventude era "O túnel do tempo", a cada episódio os personagens eram levados pelo tempo e acabavam caindo bem no meio de um evento histórico.

Logo no início de cada episódio eles começavam a desconfiar de onde estavam, até que em algum momento finalmente percebiam. Você que é professor de História pode gravar (ou comprar, no YouTube se você der uma busca há pessoas anunciando que vendem os episódios dublados) e passar só o início, solicitando aos alunos que descubram onde eles estão e contando o que vai acontecer ali e o que acham que eles terão que enfrentar nesse episódio. Pode também passar um episódio completo (ou dividí-lo em partes, passando cada pequena parte em uma aula) e depois passar uma ficha de aproveitamento e para comentários.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Personagem oculto na aula de História

O jogo "personagem oculto" pode ser usado na aula de História e você pode criá-lo para fazer uma revisão antes de uma prova, por exemplo, ficará uma revisão diferente.

Prepare uma minibiografia de personagens históricos que tenham sido estudados recentemente, do tipo:

Eu sou: Fulano de tal
Onde nasci: ---
O que fiz de importante: ------
Morri com ____ anos.

Você pode colocar na fichinha o que quer que eles se lembrem sobre o personagem. Prepare várias fichinhas assim, em sala divida a classe em grupos (para aumentar a competição) e peça para escolherem um elemento do grupo.

Entregue a fichinha para ele e os grupos irão fazer perguntas (prepare um formulário de perguntas para cada grupo, de acordo com a informação que colocou nas fichas). Os grupos irão fazendo as perguntas, revezando os grupos, um de cada vez. Quando terminarem as perguntas, um membro que pode ser escolhido pelo grupo ou sorteado, irá dizer quem é o personagem.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Bingo fácil

Eu postei aqui outro dia sobre fazer um bingo e logo depois disso encontrei alguns sites onde você pode criar um bingo sem muito trabalho e sem esquentar muito a cabeça com contas complicadas.

No site DLTK há um gerador de cartelas de bingo, você escolhe o formato da cartela (3X4, 4X4, etc), escolhe as figuras, insere palavras e depois é só pedir para criar. Aí o site te dá a primeira página de cartelas, clique no seu navegador: arquivo > imprimir. Depois de imprimir, atualize a página e o site cria automaticamente a próxima página. Repíta o processo até ter o número de cartelas que você precisa. Prático, não?


assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Trabalhando com textos

Uma maneira diferente de fazer seus alunos lerem um pouco é fazer vários clozes com o texto que você quer passar, ou para introduzir um texto que você vai trabalhar depois.

A idéia é criar clozes (textos com lacunas) usando sempre o mesmo texto mas com lacunas diferentes, assim o que há no texto de um aluno falta no de outro. Entregue os textos e dê uns minutos para que leiam (o texto deve ser pequeno para a brincadeira funcionar bem).

Depois de lido o texto, dê a eles alguns minutos para encontrarem as partes que faltam em seu texto. Eles deverão circular pela classe copiando as partes que faltam em seu texto do texto dos colegas e fornecendo as partes que há em seu texto mas faltam nos de outros. Quando o tempo se esgotar, confira quem está com o texto completo, peça a eles que leiam partes do texto para checar se está tudo certo. Essa brincadeira pode ser usada em português, espanhol, inglês, história, etc.

Faça 3 ou 4 tipos de clozes diferentes com o mesmo texto, não é necessário mais que isso senão a brincadeira fica muito difícil. Criei uma brincadeira assim com a letra da música "Epitáfio", da qual gosto muito, e também por não ser muito grande. Para que você entenda o que terá que fazer, pode fazer o download do documento que criei para demonstração. Parece difícil mas não demoreou nem 5 minutos, com a ajuda do Hop Potatoes, que eu uso já há algum tempo. Caso queira fazer o download do arquivo que fiz com vários textos, clique no link abaixo:


assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

27 de fev de 2009

Bingo

Esse jogo é difícil de preparar porque envolve matemática, você tem que calcular direitinho o número de vezes que cada palavra será repetida nas cartelas de acordo com o número de palavras que vai por em cada cartão, o número de cartões que vai fazer e o número de jogadores.

Você deve decidir tudo isso antes para evitar criar cartelas repetidas e haver mais de um ganhador. Mesmo assim pode acontecer, e você deverá estabelecer um critério de desempate ou dividir o prêmio.

É bom fazer o bingo um pouco antes da prova, assim você pode usar todas as palavras que deu no bimestre. Faça as cartelas dividindo uma folha de A4 em duas partes, em cada uma você cria uma tabela de 3 X 2. Você faz a lista de palavras (escreva para controlar melhor depois) e vê quantas estão na lista. Depois faça as cartelas em número que dê para dividir e deem uma divisão exata para saber quantas vezes a palavra vai entrar.

Exemplo: se você tem 10 alunos, pode fazer 10 cartelas com 60 palavras, cada uma entra só uma vez; se fizer 20 cartelas cada palavra entra 2 vezes, e assim por diante. Pode fazer também mini-bingos, com grupos de 18 palavras.

O importante é que nas cartelas você coloque só as figuras e na hora do sorteio faça tirinhas com os nomes dos objetos e leia em voz alta. Ganha o aluno que encher a cartela primeiro. Faça bastante cartelas e várias rodadas, faça 3 ou 4 sets com 18 palavras e deixe separados, a cada rodada você troca as palavras que vai sortear e dá novas cartelas aos alunos.

Como dá trabalho sugiro que faça da ocasião um momento especial, que faça suspense, que leve alguns prêmios como canetas, bombons, coisas assim. E aproveite a ocasião para tornar o ato de aprender uma alegria.

Caso tenha problemas, envie por email (pelo formulário de contato) quantas palavras quer usar, quantas cartelas quer fazer e eu ajudo porque já fizemos na escola e o trabalho compensou, os alunos adoraram! Depois vou postar o que fiz e deixar o link aqui no blog, se acaso alguém quiser inspirar-se nas idéias.

Ah, as figuras você busca na internet, no Google. Vá em imagens e depois escolha "pesquisa avançada" e peça para mostrar só cliparts. Ao colar no word reduza o tamanho e depois imprima. Gasta tinta, portanto escolha cópia rascunho, eu prefiro não fazer em preto e branco porque fica sem-graça.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

18 de fev de 2009

Dinâmicas, jogos e brincadeiras agora de forma mais completa

O blog Coelho da Cartola ganhou uma irmãzinha: a Rede Coelho da Cartola. Você que já acessava o blog, agora além dele pode contar também com uma rede completa.

O desenho da rede é bem parecido com o do blog, mas os recursos para os visitantes são maiores. Na rede, além de um blog para postar mais jogos, há também um bloco de notas para avisos importantes, calendário de eventos, fotos, vídeos e músicas. Quer dizer, ainda não tem tudo isso mas espero que vocês me ajudem a deixá-la completa.

Para ter um local na internet que seja a extensão desse blog e onde vocês possam interagir (lá tem fórum e chat online) acesse e participe, registrando-se e criando seu perfil. No seu perfil você também poderá ter tudo isso, já imaginou? E contará com a ajuda de todos para fazer de lá o seu cantinho de bate papo e troca de ideias.

Estão todos convidados desde já, vale apenas visitar, mas os recursos completos você só tem se registrar-se e fizer parte da rede. Espero todos lá!

Um abraço a todos.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Jogo da memória diferente para português, geografia, história...

Se você é professor de português também pode fazer um jogo da memória diferente, mas em lugar das figuras pode colocar apenas palavras. Imprima as palavras que quer trabalhar e também sua classe gramatical correspondente.

Se colocou de um lado 4 verbos na lista, de outro lado sua lista também deve ter 4 vezes a palavra verbo. Para cada palavra deve haver uma carta com sua classe gramatical correspondente.

Depois corte quadrados de papel cartão de 7 X 7 cm e cole uma palavra em cada quadrado, igualmente com as classes gramaticais. Cole do lado que não é colorido.

Para jogar divida a classe em grupos e peça a cada grupo que escolha 1 ou 2 representantes, se tiver bastante tempo você pode pedir que estabeleçam a ordem na qual cada aluno irá jogar.

Coloque as cartas embaralhadas com as palavras para baixo e parte colorida para cima, em colunas. Cada aluno em sua vez irá virar 2 cartas, se conseguir virar uma palavra e sua classe gramatical correspondente retira as 2 cartas do jogo, fica com elas e tenta de novo, virando outras 2 cartas. Quando erra o aluno simplesmente vira as cartas para baixo de novo e não as tira do lugar.

Quando terminarem todas as cartas termina a rodada, ganha o aluno que tiver mais cartas e seu grupo ganha um ponto. Comece de novo com outros alunos, embaralhando as cartas de novo e colocando-as em colunas com as palavras viradas para baixo.

Você também pode usar isso para trabalhar literatura, coloca de um lado os nomes dos livros e de outro o nome de seus autores ou a qual período o livro pertence, por exemplo.

Usando a criatividade também pode ser usado em aulas de geografia (associando países ou estados com suas capitais, por exemplo), em história (associando acontecimentos a datas, por exemplo) ou qualquer outra matéria. Em matemática pode-se associar uma operação ao seu resultado ou qualquer outra coisa que você queira trabalhar.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Jogo da memória diferente

Esse jogo da memória é um pouco diferente do tradicional e serve principalmente para trabalhar vocabulário de inglês e espanhol. Na próxima postagem vou publicar uma variação para usar na aula de português.

Procure na internet as figuras correspondentes às palavras que quer trabalhar e salve no seu computador. Depois abra o word (ou o processador de texto que você tenha, como BrOffice ou StarOffice) e vá inserindo as imagens (clique em inserir > imagem). Vá arrastando-as para ficarem uma embaixo da outra e configure a página para 2 colunas.

Quando terminar de inserir todas, vá para a próxima página e digite os nomes das figuras em inglês ou espanhol. Divida também em 2 colunas, use letra grande. Eu usei verdana tamanho 20 em negrito - e depois imprima.

Corte quadrados de 7 X 7 cm em papel cartão em número correspondente às figuras + os nomes e depois cole-as na parte que não é colorida. Espere secar e está pronto seu jogo. Você pode cobrir com contact para não estragar. Eu não fiz isso porque não sou muito jeitosa para essas coisas.

Para jogar, divida a classe em 4 grupos e peça a cada grupo que estabeleça a ordem na qual os alunos irão participar do jogo. Se tiver pouco tempo peça a cada grupo que escolha 1 ou 2 elementos para participarem representando seus grupos.

Coloque todas as cartinhas que você fez com a parte colorida para cima e as figuras e nomes para baixo, em colunas. Cada aluno vira 2 cartas, se conseguir virar a figura e a palavra que corresponde a ela, retira as 2 cartas do jogo e tenta novamente. Se errar, vira as cartas de volta sem tirá-las do lugar e o próximo aluno tenta de novo.

O objetivo é marcar mentalmente onde cada carta está, então é sempre melhor começar por uma carta que ninguém virou ainda. Quando todas as cartas tiverem saído, você as embaralha e começa outra rodada com outros alunos. Ganha o grupo do aluno que tiver mais cartas na mão ao final do jogo e seu grupo faz um ponto.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

15 de fev de 2009

Jogo do mafagafar

Essa brincadeira é boa para divertir os alunos e também serve para ajudar na conjugação dos verbos. Aqui coloquei a versão em português, mas pode ser adaptada para o inglês, espanhol ou qualquer outro idioma que você quiser, bastando para isso mudar o verbo.

Inicia-se a brincadeira dividindo a classe em grupo, se forem muitos alunos podem ser vários. Eu costumo dividir em grupos de no máximo 10, então se você tem 40 alunos em classe serão 4 grupos. Nomeie os grupos por cores e leve fitinhas coloridas para que usem como crachá, cada aluno amarra uma fitinha com a cor correspondente ao grupo no pulso.

Eu tenho um dado grande de espuma que uso nesses jogos que já fica em meu armário na escola. Chame 1 elemento de cada grupo (o grupo escolhe quem irá representá-los) e peça que joguem o dado. Será determinada a ordem em que os grupos participarão da brincadeira, quem tira o número maior vai primeiro e vai decrescendo até que todos têm sua ordem. Marque a ordem dos grupos na lousa para não se perder. Se forem muitos grupos, jogam duas vezes o dado e a soma das duas determina quem entra primeiro, sempre quem faz mais pontos antes de quem fez menos. Se houver empate, jogam mais uma vez, valendo a nova contagem.

Decidido isso, pegue um aluno do primeiro grupo e peça-lhe para sair da sala. Combine um verbo com os outros alunos, normalmente um verbo que usem bastante (nadar, dançar, etc) e assim que decidirem peça para o aluno entrar. Ele então deve fazer perguntas aos alunos, usando no lugar do verbo (que ele não sabe qual é) o verbo fictício mafagafar.

Ele vai perguntar aos grupos, um de cada vez:

- Você mafagafa sozinho? Mafagafa em casa? Mafagafa na escola? Mafagafa na frente de sua mãe? Mafagafa com os pés?

E assim por diante. Os alunos dos grupos podem responder sim ou não. Quando o aluno acerta o verbo que foi combinado, o grupo dele ganha um ponto. Não valem gestos nem outras palavras, na resposta só vale sim ou não.

Estabeleça um tempo para que o aluno descubra o verbo, ou então um número de perguntas que ele pode fazer, senão a brincadeira fica chata. Cada grupo manda um elemento para fora em sua vez (que foi determinada pelo jogo de dados). Estimule-os a combinarem perguntas antes, para que o aluno que está na frente não fique sem "repertório".

Na versão em inglês use o verbo "hot-hot", por exemplo. O aluno deve perguntar:

- Does your mother hot-hot with you? Do you hot-hot at home? Do you hot-hot during class? - e assim por diante.

Na versão em espanhol pode usar o verbo caramimbolar, por exemplo, e o aluno pergunta:

- Caramimbuelas com tu padre? Tu madre caramimbuela contigo? Caramimbuelas más de una vez por semana? - e assim por diante.

É interessante que quanto mais "fria" a pergunta de quem está na frente, mais se desespera o grupo ao qual ele pertence e mais divertido fica para os outros grupos. Fiz essa brincadeira num encontro do CCAA e os alunos divertiram-se bastante.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

11 de fev de 2009

Dinâmica para interpretação de textos

Antes de iniciar a matéria do bimestre é bom preparar uma dinâmica e essa além de engraçada - os alunos costumam rir muito e pagar mico - os faz pensar na importância da interpretação de textos no dia-a-dia.

Digite uma lista numerada mais ou menos assim:

1- Leia atentamente as instruções até o final.
2- Dê um abraço no colega do lado.
3- Coloque seu caderno em cima da carteira.
4 - Levante da carteira e vá até o quadro-negro.
5- Diga seu nome em voz alta.
6- Corra até o fundo da classe.
7- Conte até 3 em voz alta.
8- ......

Faça uma lista bem grande, com pelo menos 30 coisas e não esqueça da última:

30- Faça somente a número 2.

Como fazer:

Na sala de aula, avise que vai fazer uma dinâmica e que será uma competição para ver quem termina primeiro. Entregue as folhas viradas para baixo e diga que são as instruções mas que só podem virar quando você mandar.

Para dar mais "pressão", diga que vai cronometrar o tempo que vão levar para terminar. Diga "tempo!" ou qualquer outra palavra assim para que comecem.

Conclusão

O que se vê é que a maioria dos alunos - se não todos eles - mesmo lendo a primeira instrução "leia atentamente até o final" não a obedece, então fazem tudo o que está na lista. Quando chegam à última descobrem que teriam que executar apenas a número 2. Isso demonstra claramente que eles não entenderam (ou desconsideraram) uma instrução. Demonstra que é importante entender exatamente o que significam as palavras, já que se a primeira instrução era ler atentamente até o final, deveriam seguí-la primeiro lendo tudo até o final, para só então partir para a execução da número 2.

Fazendo tudo provaram que quando não se interpreta direito um texto muitas vezes tornamos as coisas mais difíceis para nós mesmos, temos que fazer coisas que seriam desnecessárias se interpretássemos corretamente um texto.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

8 de fev de 2009

Dinâmica de grupo para quebrar o gelo

Se você tem uma classe numerosa e fazer com que todos digam seus nomes ou alguma coisa sobre si mesmos está fora de questão porque tomaria muito tempo, você pode tentar essa aqui.

Leve um aparelho para tocar cd, coloque uma música bem animada, afaste as carteiras e peça aos alunos que vão andando em círculos pela classe ao som da música. Em determinado momento pare a música, então eles devem segurar a mão de quem estiver mais perto, formando duplas. Se a classe for em número ímpar sempre sobrará um elemento, que será o seu par.

Enquanto a música está parada (por 1 ou 2 minutos) eles devem apresentar-se ao seu par dizendo nome, onde trabalham ou o que estudam fora da escola, uma viagem (já feita ou que querem fazer), comida, música e filme preferido.

Depois de 1 ou 2 minutos, continue a música e vá parando até ela chegar ao final, enquanto ela toca eles devem andar em círculo, quando para devem procurar um par.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

4 de fev de 2009

Game show

Esse jogo pode ser feito para revisar a matéria do ano passado, antes de introduzir a matéria nova. Pode também ser feito como revisão antes da prova porque dá para incluir muitas palavras ou tópicos gramaticais (ou qualquer coisa que você queira).

Preparação

Faça fichas com as perguntas que irá fazer, eu uso uma folha de A4 cortada em 4 pedaços iguais. Você pode fazer à mão mesmo, uma vez que só você irá ler. Faça tantas perguntas quantas julgar necessário, com bastante perguntas o jogo fica mais interessante. Eu costumo fazer muitas perguntas, pelo menos 3 vezes o número de alunos, mas isso depende da extenção da matéria que vai rever.

Classifique as perguntas por grupos: fácil, médio, difícil e muito difícil. Adicione sempre algumas perguntas dos 4 níveis ao jogo para que os alunos contem também com o fator sorte. Depois de separadas por nível de dificuldade, para cada pergunta fácil faça uma fichinha em cartolina, pode ser do tamanho de uma caixa de fósforos, e com pincel atômico anote em cada uma o valor $10,00. Para cada pergunta média faça uma fichinha com valor $20,00. Faça uma ficha com valor $50,00 para cada pergunta difícil e de $100,00 para as muito difíceis. Marque na ficha maior de perguntas o seu respectivo valor.

Pegue papeizinhos bem pequenos e numere de um até o número de seus alunos. Dobre-os em 4.

Deixe as fichinhas separadas por valor e presas por um clipes. As perguntas que você fez em 1/4 de A4 você deve embaralhar. Os papeizinhos dobrados em 4 você pode colocar em um saquinho.

Execução

Coloque as carteiras em círculo, retire 3 carteiras e coloque na frente da classe, com a frente virada para os outros alunos. Você será o host, que fará as perguntas. Vá passando pelos alunos e numerando-os, apontando com o dedo. Diga que devem se lembrar de seus números.

Os papeizinhos que você numerou de 1 a (número de seus alunos) e que dobrou em 4 servirão para sortear a ordem em que eles participarão da brincadeira. Se achar melhor não atribuir números a seus alunos, você pode simplesmente usar seus números de chamada. Retire 3 papeizinhos, que serão os primeiros a participar. Os 3 alunos com os números correspondentes aos sorteados sentam-se nas carteiras que estão na frente da classe.

Faça a primeira pergunta, mas antes diga: 'essa pergunta vale... reais (o valor que você atribuiu pela dificuldade). O aluno que souber a resposta deve levantar a mão, quem levantar a mão primeiro responde. Se você quiser pode levar uma campainha, quem tocar primeiro responde. Se a resposta estiver correta, entregue uma ficha com o valor correspondente ao aluno que acertou. Se ele errar, marque seu nome na lousa e marque - (o valor da pergunta). Se ninguém levantar a mão, todos perdem 10,00.

Faça 5 perguntas para cada grupo de 3 alunos. Esse número poderá variar de acordo com o número de alunos e o número de perguntas. O ideal é que haja um número 3 vezes maior de perguntas que alunos. Lembre-se que é uma revisão, portanto pode ser demorada. Quando um aluno acerta, os que estão no círculo assistindo devem bater palmas mas não podem jamais interferir nas respostas.

Terminando o primeiro set de perguntas (5 ou o número determinado por você) sorteie os próximos 3 alunos que participarão. Vá fazendo isso até que terminem todas as perguntas.

Final

Cada aluno deve contar quanto tem em 'dinheiro'. Os alunos que erraram devem 'pagar' o que estão devendo (que você anotou na lousa). Ganha o jogo quem tiver mais dinheiro, e você deve dar um prêmio ao ganhador, que não precisa ser algo de muito valor. Ou pode também optar por trocar cada 10,00 reais por 1 bala, por exemplo.

Durante o jogo aja como se estivesse na TV, anime-os. faça suspense, incentive os alunos a torcerem, crie um clima de competição saudável. Os alunos geralmente adoram essa brincadeira e nem notam que estão estudando.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

3 de fev de 2009

Jogo com palitos - matemática para crianças

Esse joguinho vai estimular o raciocínio das crianças que estão aprendendo adição e subtração e pode ser repetido várias vezes, à medida em que forem desenvolvendo suas habilidades.

Coloque as crianças em círculo, sentadas no chão e dê 3 palitos a cada uma. Com as mãos para trás cada uma deve escolher quantos palitos ficarão na mão direita. Cada um dos alunos deve dizer quantos palitos há na mão de todos no total. Quando todos tiverem dado seu palpite os alunos põem a mão direita aberta para a frente e procede-se à contagem, todos contando em voz alta até chegar ao resulado. Ganha quem aproximar-se mais do resultado final.

Repetir várias vezes e ganha quem acertar mais. O jogo pode ser repetido várias vezes por mês e pode-se ir fazendo um quadro em que se registram os nomes dos ganhadores. No final do mês pode-se dar um prêmio ao campeão do mês.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

2 de fev de 2009

Brincadeira das bexigas

A brincadeira das bexigas pode ser usada no primeiro dia de aula para animar os alunos e também para transmitir a eles a importância do trabalho em grupo.

Leve um rádio ou qualquer outro aparelho no qual possa tocar música, escolha uma que eles gostem. Leve também um saco de bexigas de forma que possa entregar uma a cada aluno, e peça a eles que cada um encha a sua.

Quando todos já tiverem enchido explique que terão que ficar jogando as bexigas para cima como se fosse uma peteca (mas de forma suave) de forma a que não caiam no chão e que irá fazendo sinal aos alunos que deverão ir saindo da brincadeira. Os alunos que ficarem não podem deixar as bexigas caírem, os alunos vão saindo mas as bexigas que eles estavam jogando continuam no jogo.

No início será fácil mas à medida que você for acenando aos alunos para saírem os outros vão tendo cada vez mais trabalho para equilibrar as bexigas, cada vez em número maior que o de alunos. Termine a brincadeira quando tiver apenas um aluno sozinho tentando manter todas as bexigas no ar.

Pergunte a eles o que acharam da brincadeira, se foi fácil ou difícil. Eles certamente lhe dirão que no início foi fácil, mas à medida que os alunos foram saindo foi ficando cada vez mais difícil. É hora então de você conduzir para a idéia que você quer (se algum aluno já não tiver feito isso) de que o trabalho em grupo também é assim, quanto mais elementos do grupo ficarem de fora na hora da execução, mais trabalho e menos chance de sucesso terão os elementos que estiverem executando o mesmo.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

Quem sou eu - dinâmica para primeiro dia de aula

Uma boa dinâmica para a primeira aula é o jogo "Quem sou eu". Para preparar é fácil e você vai conseguir com que todos aprendam os nomes um dos outros e será uma ótima oportunidade para você também aprender. Nas classes de inglês será uma boa oportunidade de revisar vocabulário básico, o verbo 'to be' e as pessoas do singular (I, you, he, she) se feito em inglês. O mesmo acontece em espanhol, mas você pode simplesmente fazer o jogo em português se não dá aula de inglês ou espanhol.

Faça quadrados de cartolina com figuras das palavras que vai usar no jogo, coisas básicas e que tenham aprendido no ano anterior se for professor de inglês ou espanhol, ou qualquer objeto se for fazer o jogo em português. Deve fazer os quadrados de cartolina ou qualquer outro papel grosso no mesmo número de alunos + 1, que você usará.

Coloque-os em círculo (de preferência), distribua os cartões para os alunos, pedindo que não mostrem ainda uns aos outros. Comece mostrando o seu e diga, em português, inglês ou espanhol, conforme o caso:

- Eu sou Fulano e sou um(a) - diga o nome da figura que está no seu cartão. Uma bola, por exemplo.

Aponte um aluno aleatoriamente, que dirá para você na língua do jogo:

- Você é Fulano e é uma bola, eu sou Beltrano e sou uma bicicleta.

Ele deve então apontar outro aluno, que olhará para você e dirá:

- (apontando o aluno anterior) Ele é Beltrano e é uma bicicleta, você é Fulano e é uma bola, eu sou Sicrano e sou um livro.

Cada aluno apontado deve dizer tudo que os outros disseram, apontando cada aluno e finalizando sempre com 'você é Beltrano e é uma bola, eu sou .... e sou um(a) ...

Você pode colocar figuras que vão ficar engraçadas ditas pelos alunos, e eles vão se divertir enquanto vão memorizando os nomes uns dos outros. Na verdade essa dinâmica é uma boa ajuda para que você também aprenda os nomes deles, o que é desejável em um professor, que no mínimo saiba o nome de seus alunos.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

27 de jan de 2009

Verdade ou mentira? - Dinâmica para o início das aulas

Excetuando-se as classes novas, todo ano eu começo com uma classe que já se conhece e eu tenho que conhecer a todos e tentar integrá-los ao máximo. Essa dinâmica mostra que nem sempre a gente conhece bem quem está do lado, nosso conhecimento é muito limitado e restringe-se ao ambiente em que estamos.

Essa dinâmica é muito útil para mim porque quando dou as aulas de inglês ou espanhol procuro inserir o que estou ensinando à realidade do aluno. É importante saber do que eles gostam e o que fazem fora da escola para tornar a aula mais interessante e também mostrar de forma objetiva como usar em seu cotidiano o que estão aprendendo.

Entrego um pedaço de papel a cada aluno e digo que terão que escrever nele 3 frases sobre si mesmos, sendo que uma delas será falsa. Mas não devem escrever coisas óbvias como 'tenho olhos verdes' e sim coisas que os amigos saberiam sobre ele, como 'já fui ao Japão', por exemplo.

Peço a eles que coloquem o nome e escrevam as 3 frases (e é claro que eu vou guardar esses papéis para uso posterior quando for preparar as aulas), depois eles me entregam todos. Escolho um papel aleatoriamente e leio a primeira frase, perguntando de quem é. A classe vai dando seus palpites e instruo os alunos que quando identificaram o que escreveram disfarcem e também digam que acham que é do Fulano.

Anoto na frente da frase o nome de quem a maioria da classe achou que era o dono e escolho outro papel. Vou lendo as primeiras frases de cada um, depois começo a ler a segunda e por fim a terceira frase, sempre anotando na frente da frase de quem a classe achou que era.

No final todos já estão ansiosos e eu leio a frase e digo: essa que vocês acharam que era do Fulano na verdade é da Sicrana. E faço algumas perguntas sobre a frase à aluna. Vou fazendo isso até terminar e depois pergunto aos alunos o que acharam da brincadeira.

Eles normalmente acham divertido porque ficam sabendo mais sobre os colegas e também ficam surpresos por saber relativamente pouco sobre eles.

Eu já tive grandes surpresas com essa brincadeira, uma vez uma aluna escreveu 'já tive uma parada cardíaca' e todos achamos que a frase era falsa mas era verdadeira, depois pedi a ela que contasse como isso aconteceu. Outra aluna escreveu 'já viajei de avião 63 vezes' e também era verdadeira.

assinatura

Gostou do blog? Recomende e volte sempre!
Contato

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...